quinta, 17 de outubro de 2019. 02:50
<div class='trigger trigger_error'><b>Erro na Linha: #30 ::</b> Undefined variable: Pos<br><small>/home/serjaobl/public_html/themes/serjao_blog2/artigo.php</small><span class='ajax_close'></span></div>

Vereadora do interior tentou calar a imprensa

2019-09-16 21:14:00, Por: Sergio Marcos

Foto: Vereadora Ana Pacheco (PP) São Sebastião - Al 

No Regimento interno da Câmara de Vereadores de São Sebastião, no seu Art. 160 ao qual a Vereadora Ana Pacheco (PP),  que já foi presidente da casa, citou na última sessão na Sexta (13), numa tentativa frustrada de calar a imprensa, quis confundir os Edis para não permitir a presença da imprensa nas sessões da câmara, quando por iniciativa do Presidente da casa Vereador Eliton Curtinhus, numa visão democrática já faz transmissão ao vivo das sessões através das redes sociais, que já é um sucesso de visualizações no município, mesmo sendo a contra gosto da turma da bancada do prefeito Zé Pacheco, liderada pela nobre vereadora. 


A política praticada no interior alagoano ainda tem resquícios do coronelismo, quando alguns políticos acham que pode tudo, fazer tudo, para os seus interesses. Em São Sebastião no agreste alagoano ainda encontram políticos nesse perfil. Mas a democracia e a vontade soberana do povo pode exterminar tais políticos folclóricos do meio da sociedade. 


No Art. 160 diz: Durante as sessões, somente os vereadores poderão permanecer na parte do recinto do plenário que lhes é destinada.

Nos Incisos 1º e 2º,  fala de convidar autoridades para homenagem e visitantes quando convocado pelo presidente.


Em nenhum momento não fala da galeria do plenário, onde fica populares, correligionários, assessores dos vereadores e a imprensa para cobrir e assistir os trabalhos dos parlamentares mirim.


A Declaração Universal dos direitos humanos n° 19 que fala da Liberdade de Expressão diz o seguinte: Todo o indivíduo tem direito à liberdade de opinião e de expressão; este direito implica a liberdade de manter as suas próprias opiniões sem interferência e de procurar, receber e difundir informações e ideias por qualquer meio de comunicação e independentemente de fronteiras.


A constituição brasileira no seu  Art. 220. Diz que a manifestação do pensamento, a criação, a expressão e a informação, sob qualquer forma, processo ou veículo, não sofrerão qualquer restrição, observado o disposto nesta Constituição.

    § 1º Nenhuma lei conterá dispositivo que possa constituir embaraço à plena liberdade de informação jornalística em qualquer veículo de comunicação social, observado o disposto no art. 5º, IV, V, X, XIII e XIV.

    § 2º É vedada toda e qualquer censura de natureza política, ideológica e artística.

Portanto a imprensa tem um papel fundamental para a sociedade que é de informar os verdadeiros fatos com responsabilidade.

 

 

 

CTR Craíbas