quinta, 25 de abril de 2019. 01:39
<div class='trigger trigger_error'><b>Erro na Linha: #30 ::</b> Undefined variable: Pos<br><small>/home/serjaobl/public_html/themes/serjao_blog2/artigo.php</small><span class='ajax_close'></span></div>

Alagoas é exemplo de gestão de resíduos sólidos durante a marcha

2019-04-11 23:37:00, Por: Sergio Marcos

Foto: Divulgação

Diante de uma sala cheia de gestores de todo país, os prefeitos Júlio Cezar e Ediel Leite explanaram sobre o encerramento dos lixões em Alagoas, os consórcios públicos e os planos de resíduos sólidos. O painel aconteceu durante a Marcha a Brasília, nesta quarta-feira, dia 10.

Representando a Associação dos Municípios Alagoanos (AMA), o prefeito Júlio Cezar explicou a articulação da entidade com o estado e os órgãos de controle para reajustar prazos e estabelecer uma união que alcançou com sucesso a marca de 100% dos lixões fechados, sendo um dos três estados do Brasil, o primeiro do Nordeste a atingir o feito.

“Nosso exemplo despertou a atenção de outros estados que estão vindo conhecer essa experiência, e a CNM resolveu mostrar essa experiência, que está de acordo com a Lei Federal 12305/2010, que determina a proibição dos lixões no Brasil. Os prefeitos que assumiram em janeiro de 2017 já começaram a gestão com a responsabilidade de encerrar os lixões e cumprir a medida determinada pela Justiça, feita ainda em 2014”, completou o prefeito Júlio Cezar.

O prefeito de Craibas e presidente do Consórcio Público Regional de Resíduos Sólidos do Agreste Alagoano (Conagreste), Ediel Leite, acompanhado do superintendente, Ivens Leão, explicou como funciona o Consórcio que através de investimento privado se tornou referência no estado. “Todos reformamos a importância de ter aporte tanto federal quanto estadual”, destacou Ivens.

Também estavam presentes dois promotores de Justiça da Paraíba e o presidente da Associação Municipalista da Paraíba. Apenas 12% dos municípios paraibanos fecharam seus lixões. “Eles estão fazendo o caminho contrário de Alagoas, iniciaram a coleta seletiva para reduzir o volume de resíduos para depois fechar os lixões”, explicou Ivens.

CTR Craíbas