quinta, 17 de outubro de 2019. 03:11
<div class='trigger trigger_error'><b>Erro na Linha: #30 ::</b> Undefined variable: Pos<br><small>/home/serjaobl/public_html/themes/serjao_blog2/artigo.php</small><span class='ajax_close'></span></div>

Ex-Palmeiras, alagoano Cleiton Xavier confirma aposentadoria, fala sobre novos projetos e elogia conterrâneos

2019-08-27 07:15:00, Por: Sergio Marcos

Ex-Palmeiras, alagoano Cleiton Xavier confirma aposentadoria, fala sobre novos projetos e elogia conterrâneos

Cleiton Xavier com a camisa do Vitória, clube pelo qual jogou em 2017. Foto: Raul Spinassé/A Tarde/Futura Press

Por Josué Seixas (@josue_seixas) e Rafael Brito (@rafaelbritom)

Para esse momento, as expressões estão prontas: pendurar chuteiras é clássico, despedir-se dos gramados é alegoria, mudança de vida é realidade. Expressões grandes para definir o fim de um capítulo que dura uma vida inteira. A vida dentro de campo fica para trás, a nova fase chega. Hoje, quem confirma o Oi a esse momento é Cleiton Xavier.

Aos 36 anos, o alagoano de São José da Tapera revelou que não vai seguir jogando futebol profissionalmente. Destaque de Palmeiras e Metalist, da Ucrânia, Cleiton jogou a última partida há mais de um ano, pelo CRB, quando sofreu uma desinserção no tendão da coxa esquerda. A decisão, entretanto, demorou um pouco. Sempre é difícil dizer adeus.

“Eu já pensava em terminar a carreira nessa idade. Voltei para o CRB porque queria me aposentar aqui em Alagoas. Infelizmente, tive a lesão que me impediu de terminar o campeonato e, quando me recuperei, decidi que já estava na hora de parar. O corpo estava pedindo. Parei no momento certo e em casa”, disse.

Cleiton sempre teve saudades de Alagoas e gostava de visitar a sua cidade, que fica no sertão. Imaginava-se jogando por aqui, mas não teve oportunidade. Entre risadas, ele contou que, em 2015, o Palmeiras enfrentou o ASA pela Copa do Brasil, mas o time de Arapiraca vendeu o mando de campo, e o jogo foi disputado no Estádio do Café.

De coincidências a vida de Cleiton Xavier está cheia. Começar a carreira no CSA e terminar no CRB foi só um atrativo. Para ele, foi uma oportunidade de aprender a torcer para os dois times. Hoje, o objetivo é que o Azulão fique na Série A e que o Galo suba.

“Hoje posso dizer que são os dois times que torço. Aprendi a gostar do CRB depois dessa minha passagem. Quero agradecer ao clube por ter me acolhido nessa minha volta. Eu sou alagoano, eu torço para os times de Alagoas, e vejo que o estado está crescendo cada vez mais nesse sentido”.

Ex-Palmeiras, alagoano Cleiton Xavier confirma aposentadoria, fala sobre novos projetos e elogia conterrâneos

Cleiton Xavier durante treino do CRB, seu último clube profissional. Foto: Maxwell Oliveira/CRB

Alagoanos no topo
Inclusive, os conterrâneos de Cleiton despertam as atenções do ex-meia. CX não poupou elogios a Roberto Firmino, Willian José, Gilberto e Pedrinho.

“O Firmino está super bem e acho que hoje é um dos melhores atacantes do futebol mundial. O Willian José também está muito bem. O Giba [Gilberto, artilheiro do Bahia] é meu amigo particular, sempre nos falamos. É um cara que tá arrebentando, fazendo vários gols. Eu espero que todos continuem assim e que outros alagoanos também venham a se destacar, como o Pedrinho, do Corinthians. Tive a oportunidade de conhecer ele. É um cara sensacional, de uma história muito linda e bacana”.

Formar novos jogadores que se destacam é um dos objetivos de Cleiton Xavier nessa nova fase da carreira. Há pouco mais de um ano, ele fundou a escolinha CX 10, em São José da Tapera, e hoje tem mais de 60 inscritos. No começo, era difícil acompanhar os treinamentos dos meninos. Recebia vídeos e falava com os professores para ajudar, mesmo à distância.

“Estamos conseguindo dar oportunidade a alguns garotos. Até levamos alguns para fazer testes em São Paulo e outros estados e espero que continue assim, dando certo. É devagarzinho, mas a gente vai tentando. Tenho certeza que Deus vai nos abençoar no final. Tem muita gente boa, com boas intenções, principalmente os pais dos garotos. Conversamos com os pais deles, que têm visões positivas. Nós tentamos ajudar as crianças, fortalecendo a educação e apoiando muito que elas estudem, porque o futebol não é 100% certo.

 
Já sente falta do futebol, Cleiton?
Nas redes sociais, o ex-meia do Palmeiras ainda mostra quando vai bater uma bolinha com os amigos. No novo momento da carreira, o objetivo de Cleiton é passar mais tempo com a família e com os amigos, algo que o futebol às vezes dificultava. Dá saudade de entrar em campo e treinar, mas a preferência hoje em dia é cuidar de casa.

“É difícil se aposentar, acordar no outro dia e saber que não vou mais para o clube, que era algo que eu fazia rotineiramente. Fiz muitas amizades no futebol, então sinto, sim, falta disso. É inevitável. Passei a vida toda jogando futebol, concentrando, indo para jogo, tendo aquela responsabilidade, uma sensação gostosa, de poder ir trabalhar fazendo o que gosto”.

Cleiton Xavier saiu de Alagoas em 2002, quando jogava pelo CSA. Foi para o Internacional e nunca escondeu o quanto aquela fase tinha sido difícil. Até foi convocado para a seleção brasileira, quando vivia a época de ouro da carreira, no Palmeiras. Voltou para casa em 2018, para defender o CRB, e causou um estardalhaço. Hoje, despede-se do futebol como sempre o jogou: com elegância.

 

CTR Craíbas