quinta, 12 de dezembro de 2019. 22:13
<div class='trigger trigger_error'><b>Erro na Linha: #30 ::</b> Undefined variable: Pos<br><small>/home/serjaobl/public_html/themes/serjao_blog2/artigo.php</small><span class='ajax_close'></span></div>

EX-prefeita traipuense Conceição Tavares pagou mais de R$10 Milhões a advogados com recursos dos precatórios do Fundeb

2019-12-04 16:14:00, Por: Sergio Marcos

Foto: Ex - prefeita Conceiçao Tavares de Traipu


Os ministros do Tribunal de Contas da União (TCU), em sessão realizada em Brasília, em 23 de outubro de 2019, decidiram por unanimidade que a ex-prefeita de Traipu, Conceição Tavares, quando a época era prefeita do município, que seja investigada por ter autorizado o pagamento irregular com recursos dos precatórios do Fundeb na ordem de mais de 10 MILHÕES DE REAIS ($ 10.410.221,30) aos escritórios jurídicos, tendo como um dos sócios o seu genro, o advogado Yuri de Pontes Cezário. 

EX-prefeita traipuense Conceição Tavares pagou mais de R$10 Milhões a advogados com recursos dos precatórios do Fundeb

Foto: advogado Yuri de Pontes Cezário


O relator do processo TC 018.180/2018-3, ministro Walton Rodrigues, entendeu que os recursos recebidos pelo município de Traipu em 2015 a títulos de precatórios do Fundeb no valor de mais de 50 MILHÕES DE REAIS, não deveriam ser destinados a pagamentos de honorários advocatícios, como fez a ex-prefeita, sendo que todos os advogados envolvidos receberam os pagamentos em um único dia (30/11/2015), e pasmem, sem processo licitatório. 

EX-prefeita traipuense Conceição Tavares pagou mais de R$10 Milhões a advogados com recursos dos precatórios do Fundeb

Foto: Documento TCU


Com a decisão dos ministros, os advogados beneficiados terão 30 dias para devolver  esses valores aos cofres públicos do município de Traipu, como também o ministro relator do processo determinou que seja feita imediata diligência através do ministério público federal (MPF), a fim de investigar de que forma Conceição Tavares investiu no município de Traipu os recursos recebidos através de precatórios do Fundeb.

CTR Craíbas