quinta, 23 de maio de 2019. 17:43
<div class='trigger trigger_error'><b>Erro na Linha: #30 ::</b> Undefined variable: Pos<br><small>/home/serjaobl/public_html/themes/serjao_blog2/artigo.php</small><span class='ajax_close'></span></div>

Jovem fica tetraplégica após cair no mar em SP

2019-03-09 22:17:00, Por: Sergio Marcos

Jovem fica tetraplégica após cair no mar em SP

Foto: Divulgação

Uma jovem de 24 anos ficou tetraplégica após bater a nuca ao pegar um “jacarézinho”, prática de pegar onda sem uso de prancha, em uma praia no litoral paulista. Karina Neustadter Castellano agora luta para voltar a andar. 

A jovem que é de Santos, no litoral de São Paulo, cursava administração e trabalhava em uma empresa na capital. No fim de janeiro, conseguiu alguns dias de folga e viajou para uma praia em Ilhabela com o namorado. 

No dia 28, ao pegar a onda, a jovem, que estava numa parte rasa do mar, sofreu um tombo brusco. Karina perdeu os sentidos e foi socorrida para um hospital em Ilhabela. Depois, foi transferida para uma unidade de saúde em São José dos Campos (SP). A família disse que ela sofreu uma fratura na vértebra C6, na região do pescoço, o que a fez perder os movimentos. 

“Ela ficou vários dias internadas na UTI do hospital, chegou a ficar entre a vida e a morte, e no dia 2 de fevereiro, fez uma cirurgia onde colocou uma placa de titânio. O pulmão e o diafragma dela também foram lesionados, por isso ela está com dificuldade para falar também”, contou o tio dela, Guilherme Monteiro ao G1. 

Segundo ele, Karina já começou a fazer fisioterapia e apresentou alguns sinais de melhora. Os custos com o tratamento são altos e, por isso, a família criou uma vaquinha virtual para arrecadar recursos. A meta era arrecadar R$ 61.814,80, mas até essa segunda-feira (4) R$ 65 mil já haviam sido doados.

“Qualquer doação no sentido de contribuir com a melhora da Karina é recebida com muito amor e gratidão. Esperamos que a melhora dela seja motivo de orgulho para todos aqueles que nessa onda de amor se encontram”, finalizam os familiares na publicação.

CTR Craíbas