segunda, 18 de maro de 2019. 16:19
<div class='trigger trigger_error'><b>Erro na Linha: #30 ::</b> Undefined variable: Pos<br><small>/home/serjaobl/public_html/themes/serjao_blog2/artigo.php</small><span class='ajax_close'></span></div>

Na Câmara, Bolsonaro votou contra mudanças na Previdência que hoje defende como presidente

2019-02-05 19:26:00, Por: Sergio Marcos

Na Câmara, Bolsonaro votou contra mudanças na Previdência que hoje defende como presidente

Foto: Divulgação

O fim do primeiro mês de governo indica que a principal pauta econômica do presidente Jair Bolsonaro (PSL) é a reforma da Previdência. E as declarações do ministro da Economia, Paulo Guedes, mostram que o principal objetivo é endurecer as regras da aposentadoria, reduzindo o peso previdenciário nas contas do país.

Entre as mudanças previstas, estão o estabelecimento de uma idade mínima e o aumento do tempo mínimo de contribuição para solicitação de aposentadoria integral. O projeto, no entanto, ainda não foi formalmente apresentado pelo governo ao Congresso.

Mas, apesar de agora defender a reforma da Previdência com unhas e dentes e de inclusive tê-la incluído no programa de governo que registrou no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) durante a campanha eleitoral do ano passado, Bolsonaro tem um histórico de votações contrárias a qualquer medida semelhante ao longo de sua carreira como deputado.

Nas últimas semanas, a Lupa analisou os posicionamentos públicos do presidente em seis projetos que trataram sobre possíveis alterações na Previdência e que tiveram grande relevância pública desde 1995. Constatou que, em todos eles, Bolsonaro foi contrário à restrição dos critérios para aposentadoria e favorável a medidas que, de certa forma, aumentariam o custo da Previdência para a União.

Essa aparente inconsistência não é exclusividade do hoje presidente. O PT, por exemplo, acusou Fernando Henrique Cardoso de prejudicar os trabalhadores e favorecer banqueiros com a reforma previdenciária de 1998. Cinco anos depois, o então presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) foi responsável por outra reforma, que aprofundou as mudanças realizadas pelos tucanos. Nela, por exemplo, Bolsonaro fez questão de ressaltar a incoerência.

Ainda vale lembrar que, em 2009, o PSDB votou majoritariamentepara extinguir o fator previdenciário, algo que havia sido criado por Fernando Henrique Cardoso (FHC) dez anos antes, com o apoio dequase toda a bancada do partido à época.

CTR Craíbas