quinta, 17 de outubro de 2019. 02:27
<div class='trigger trigger_error'><b>Erro na Linha: #30 ::</b> Undefined variable: Pos<br><small>/home/serjaobl/public_html/themes/serjao_blog2/artigo.php</small><span class='ajax_close'></span></div>

Quatro adolescentes rebolando sob a mira de uma arma na escola

2019-09-03 15:54:00, Por: Sergio Marcos

Quatro adolescentes rebolando sob a mira de uma arma na escola

Foto:Divulgação

Um vídeo que mostra quatro adolescentes rebolando sob a mira de uma arma dentro de um banheiro de uma escola pública do Distrito Federal está circulando pelas redes sociais. As imagens foram gravadas na manhã da última sexta-feira (30) no Centro Educacional 11 de Ceilândia, a 22 km do centro de Brasília. O UOL teve acesso ao vídeo e optou por não publicá-lo por considerá-lo explícito demais.

Nas cenas, as adolescentes, que têm entre 15 e 18 anos, aparecem sem camisa e dançando funk. 

Ao saber das imagens, o diretor do colégio encaminhou o vídeo para os responsáveis das meninas. A arma, segundo ele, é de brinquedo, utilizada para jogar videogame e pertence a um aluno maior de idade que não participou do vídeo. O rapaz teria emprestado para uma quinta garota, irmã de uma das outras quatro, que gravou as cenas.

"Fiquei bem surpreso quando vi as imagens, até porque as meninas sempre foram tranquilas e nunca deram problema aqui. O aluno dono do brinquedo não sabia que as estudantes iriam gravar aquele tipo de vídeo. Na verdade, ele trouxe a arma para mostrar para um colega, que também gosta de videogame", explicou o diretor Jairton Câmara.

O diretor também informou que os pais das envolvidas foram ao colégio e, depois, encaminhados até a Delegacia da Criança e do Adolescente.

Segundo a Polícia Militar, a arma de brinquedo foi apreendida. A corporação também informou por nota que apesar de uma adolescente ter filmado e a outra ter transmitido "cenas de duvidosa moralidade de cunho íntimo, referentes às demais adolescentes", o caso não se enquadra no conceito de "sexo explícito ou pornográfico". Portanto, nenhum jovem foi apreendido.

Segundo Câmara, todos os envolvidos foram suspensos por três dias. Na quarta-feira (4), o Conselho Escolar vai decidir o futuro dos estudantes. O UOL aguarda um posicionamento do Sindicato dos Professores. 

CTR Craíbas